As novas tendências do mercado imobiliário vão de encontro com o que as pessoas procuram

O ano de 2019 é um divisor de águas para o mercado imobiliário, que apresenta sinais consistentes de recuperação. Com o aquecimento da economia, especialistas afirmam que o período é favorável para adquirir imóveis. Eles apostam, também, em algumas tendências para o próximo ciclo. São elas:

Imóveis menore

As pessoas apostam, cada vez mais, em conforto e qualidade de vida. Por esse motivo, a procura por imóveis menores aumentou consideravelmente. Os apartamentos compactos tornaram-se populares e são a opção ideal para aqueles que passam pouco tempo em casa ou não pensam em constituir família. Alexandre Lafer Frankel, da construtora Vitacon, afirma “Percebemos que existe uma mudança no estilo de vida das pessoas, que estão trocando apartamentos grandes e distantes por unidades menores e mais próximas ao centro da cidade”.

Região central

Imóveis na região central das grandes cidades continuam sendo objeto de desejo de muitas pessoas que se deslocam, todos os dias, para os compromissos. A localização é um dos fatores que mais valoriza uma propriedade, tornando o valor mais salgado. Estar mais próximo do trabalho, de estações de trem ou metrô e das linhas de ônibus é prioritário para quem busca por praticidade.

Espaços de compartilhamento

As áreas de compartilhamento estão se tornando comuns em condomínios residenciais. Os moradores encontram serviços de lavanderia, academia, pet place e até espaços voltados para coworking. O sócio-diretor da Vitacon defende “morar perto do trabalho é um sonho para muitas pessoas, que encaram diariamente, duas, três, quatro horas no trânsito. Fazendo uma conta rápida, vamos pegar a média, se uma pessoa gasta três horas por dia em deslocamentos, de casa para o trabalho, o que não é impossível numa cidade como São Paulo e no final do ano são 720 horas preso num carro ou num transporte coletivo, o que corresponde a um mês de vida. Eu considero um tempo absurdo para você perder em deslocamentos, por isso implantamos em nossos empreendimentos os espaços de coworking que o morador pode usar. Ele traz apenas o notebook”. Esses locais promovem sustentabilidade e a economia colaborativa, que defende a divisão das coisas ao invés do acúmulo, além de incentivar a interação entre os condôminos.

Tecnologia

As novas tendências do mercado imobiliário vão de encontro com o que as pessoas procuram e a tecnologia pode ser uma grande aliada. Atualmente, é possível encontrar edifícios com porteiro eletrônico, reconhecimento facial e acesso por meio de biometria. Os moradores são capazes de acompanhar as câmeras em tempo real pela telinha do celular. As realidades “virtual” e “aumentada” estão sendo utilizadas por imobiliárias para que os clientes possam conhecer o empreendimento de onde estiver, bem como ajudar os corretores a tirar dúvidas do imóvel em questão.