A modalidade é ideal para quem conta com agilidade

Em tempos de crise, o setor imobiliário recupera-se lentamente. As incertezas e dificuldades tornam o processo de compra e venda ainda mais demorado. Uma alternativa que tem atraído proprietários é a permuta de imóveis, e a procura pela modalidade cresceu 300%, de acordo com pesquisa realizada pelo site Permutando, voltado para trocas. O estudo foi realizado de setembro de 2018 a agosto de 2019, e constatou que 81% das pessoas optam pela transação devido à demora para vender suas propriedades.

Como funciona

A permuta é uma modalidade de negócio que consiste na troca de um imóvel por outro, de valor equivalente. Aplica-se para casas, apartamentos, terrenos e propriedades comerciais. É possível, inclusive, pagar a diferença em dinheiro, e essa transação caracteriza-se por “ permuta com torna”.

Cuidados

Independentemente da facilidade, é necessário ter tudo documentado. O contrato é feito por escritura pública e deve especificar as datas de entrega e responsabilidade pelos tributos. Ambas as partes deverão arcar com os custos da escritura, que varia de 4% a 6% do valor do imóvel.

É importantíssimo conferir a situação legal da propriedade de interesse, bem como verificar se a precificação está de acordo. Apesar de menos burocrática, a permuta exige a mesma atenção de um acordo convencional de compra e venda.

Vantagens e desvantagens

Um dos benefícios mais notáveis é não pagar a taxa do Imposto de Renda se não houver a torna. Além de econômica, a modalidade também é ágil e é possível concretizar os objetivos em menos tempo. A permuta envolve uma única transação, e não é necessário tratar a compra e venda separadamente.

É comum negociações entre proprietários de terrenos e construtoras. O objetivo é trocar a área por algumas unidades do empreendimento que será construído, o que pode ser bastante rentável. A modalidade é interessante, também, para investidores que planejam diversificar seus negócios.

Em contrapartida, a permuta oferece menos opções de escolha, e um provável conflito de opiniões das partes interessadas. Em caso de dificuldades para chegar a um consenso, é aconselhável procurar ajuda de um um corretor ou, até mesmo, um advogado.