Você sabia que é possível alugar um imóvel sem precisar do cheque caução? Essa alternativa existe por conta da garantia do seguro fiança.

Esse tipo de garantia não precisa de fiador, e nem do depósito caução antecipado, tornando o processo de locação de imóvel muito mais fácil e rápido para o inquilino e para o proprietário.

Se você se interessou leia a nossa matéria, e confira todas as vantagens e benefícios proporcionados pelo aluguel de um imóvel através da garantia do seguro fiança.

O que é o seguro fiança?

O seguro fiança é uma forma de garantia proporcionada para o proprietário que dispensa a necessidade de fiador e do cheque caução, fazendo com que os processos de aprovação dos contratos de aluguel sejam mais ágeis.

Nesse tipo de garantia o locatário contrata um seguro para a propriedade que será alugada. O prazo de vigência desse seguro é o mesmo do período em que o inquilino permanecerá no imóvel.

Assim, através do seguro feito pelo inquilino, o proprietário fica segurado em casos de falta de pagamento da mensalidade do aluguel, ou qualquer outro dano causado pelo locatário que possa acontecer.

Como funciona o seguro fiança?

Diante das situações de constrangimento decorridas do pedido do locatário para alguém ser o seu fiador, e das indagações por parte dos proprietários que o pagamento do caução era insuficiente, decidiu-se fazer o uso do seguro fiança.

Esse tipo de garantia funciona da seguinte forma: primeiramente o locatário faz um contrato de garantia para assegurar o proprietário de possíveis inadimplências que possam ocorrer. Nessa garantia, se tem a cobertura básica que é o pagamento da mensalidade de locação, e a opção de contratar outros serviços adicionais como as taxas relacionadas ao imóvel, podendo ser a água, eletricidade e IPTU.

O seu custo gira em torno de 2 a 3 vezes o preço da mensalidade do aluguel, e normalmente o valor é dividido de três a doze parcelas, dependendo do tempo de permanência do inquilino no imóvel.

Assim, a seguradora assume o compromisso e faz a cobertura dos danos financeiros que o inquilino possa ocasionar ao proprietário do imóvel, além de proporcionar muita mais praticidade ao locatário.